Posts com a Tag ‘características do romantismo’

Gerações do romantismo – Poesia

A poesia romântica é marcada pelo uso de formas mais livres em comparação ao soneto (gênero fixo).

1ª GERAÇÃO

Principais características:

  • Nacionalismo – exaltação da pátria
  • Indianismo – índio idealizado como um herói
  • Religiosidade – muitos poemas retratam a manifestação de Deus na natureza
  • O saudosismo é também um tema frequente entre os poetas dessa geração

Principais poetas:

Gonçalves Dias

  • Autor de Canção do Exílio, um dos poemas românticos mais conhecidos.

“Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá;

As aves, que aqui gorjeiam,

Não gorjeiam como lá.(…)”

  • Suas obras contribuíram bastante para a construção de uma cultura essencialmente brasileira.
  • I-Juca Pirama e Os timbiras são os dois grandes poemas épicos escritor pelo autor.

Gonçalves de Magalhães

  • O autor do de Suspiros poéticos e saudade, marco inicial do Romantismo brasileiro. É no prólogo dessa obra que Gonçalves de Magalhães anuncia a grande revolução que o período romântico faria na literatura.

2ª GERAÇÃO – ULTRA-ROMANTISMO

Principais características:

  • Os poetas dessa geração não abordam os assuntos da vida político-social, não são tão nacionalistas quanto os primeiros românticos.
  • Marcada pelo “mal do século” – conjunto de tédio, incerteza, pessimismo, apego às bebidas, aos vícios, aos ambientes noturnos e à morte.
  • Egocentrismo exacerbado – referência constante a si próprio.
  • Pessimismo
  • Atração pela morte – a morte é percebida como uma forma de protestar contra a vida burguesa.
  • Percepção da morte como fuga da realidade.
  • “Medo” da realização amorosa

Principais poetas:

Álvares de Azevedo

  • A contradição é uma das maiores marcas de sua obra.
  • O poeta trabalha com pares opostos como escuridão e claridade, amanhecer e anoitecer, o sonho e o real. Em Lira dos Vinte Anos, sua principal obra essa dualidade fica clara.
  • A ironia também está presente na obra do poeta como um protesto ao mundo burguês.

Casimiro de Abreu

  • Apesar de associado à Segunda Geração, Casimiro de Abreu retratou temas como a infância, a pátria, a saudade e a natureza. Seu poema mais conhecido Meus oito anos ilustra exatamente isso.

“Oh! que saudades que tenho

Da aurora da minha vida,

Da minha infância querida

Que os anos não trazem mais!

Que amor, que sonhos, que flores,

Naquelas tardes fagueiras

À sombra das bananeiras,

Debaixo dos laranjais!(…)”

  • O “medo de amar” também está presente na obra do autor.

Fagundes Varela

  • Sua poesia ilustra preocupação espiritual
  • Ainda há o caráter pessimista, mas há também traços que apontam para a terceira geração, como a preocupação com os problemas sociais.

3ª GERAÇÃO – CONDOREIRISMO

Essa geração é chamada de condoreira devido ao condor, ave capaz de voar muito alto, que foi adotada como símbolo de liberdade pelos poetas.

Principais características

  • Poesia de cunho político e social em defesa de uma nova ordem social
  • Os poemas condenavam as desigualdades sociais e o sistema monárquico.
  • O tema da abolição da escravatura foi muito abordado por essa geração

Prinicipais poetas:

Castro Alves

  • Conhecido como “poeta dos escravos”, pois produziu vários poemas sobre a escravidão. O mais conhecido deles é O navio Negreiro

São os filhos do deserto,

Onde a terra esposa a luz.

Onde vive em campo aberto

A tribo dos homens nus…

São os guerreiros ousados

Que com os tigres mosqueados

Combatem na solidão.

Ontem simples, fortes, bravos.

Hoje míseros escravos,

Sem luz, sem ar, sem razão…”

  • O poeta também escreveu sobre temas amorosos. Em sua obra, a mulher amada aparece de modo bem menos idealizado e mais sensual.

Até a próxima, galera!

Fonte: CEREJA, William Roberto e COACHAR, Thereza Magalhães. Literatura brasileira: ensino médio. 3. ed. São Paulo: Atual, 2005.

Resumão romantismo

Olá, galera!

Depois de tantos posts sobre Gramática, agora é a vez de um sobre LITERATURA! \O/

Este post é um resumão sobre o período literário que mais costuma cair nas provas: o Romantismo.

SURGIMENTO

O Romantismo, nascido na Alemanha e na Inglaterra e depois expandido  por toda a Europa, surgiu em um contexto marcado por fatos históricos como a Revolução Francesa e as consequências da  Revolução Industrial.(Vale a pena dar um pulinho no Desconversa/historia e rever essas duas revoluções)

RUPTURA COM O CLÁSSICO

A visão de mundo romântica negava os valores defendidos pela tradição clássica  e apresentava novos. Assim, esse período enfatiza:

o sentimento em detrimento da razão

a arte em detrimento da ciência

a subjetividade em detrimento da objetividade

o conflito emocional em detrimento da impessoalidade

O Romantismo rompeu com a tradição clássica e inaugurou uma nova etapa na literatura, pois conseguiu criar uma linguagem verdadeiramente nova e relacionada ao contexto histórico e político do período e  à vida cotidiana do homem burguês, novo público consumidor da Literatura e das artes em geral.

E COMO FOI NO BRASIL?

Aqui no Brasil, o Romantismo surge um pouco depois de nossa independência. Os artistas nacionais tinham o objetivo de definir a cultura brasileira com traços que fossem verdadeiramente nossos e de produzir uma arte que não fosse baseada nos modelos portugueses. Por isso, o nacionalismo é o traço principal do nosso Romantismo.

A obra Suspiros poéticos e saudade, de Gonçalves de Magalhães é considerada o marco inicial do Romantismo brasileiro.

Na prosa, nossos escritores retrataram o índio como o “bom selvagem” a fim de criar uma identidade brasileira. As principais obras que exemplificam essa tendência ao romance indianista são O Guarani, Iracema e Ubirajara (Você já leu alguma delas? Se ainda não leu, vale a pena ler!). Além dos romances indianistas, existiram também os romances urbanos e os romances regionalistas. Os romances urbanos retratavam personagens em situações do cotidiano. As obras A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo; Senhora, Lucíola, Cinco minutos, todos de José de Alencar, pertencem a esse gênero. Os romances regionalistas retratavam aspectos sociais de diferentes áreas do Brasil. Eles funcionaram como uma espécie de mapeamento das diferentes culturas existentes no interior do país, contribuindo para a construção da identidade nacional.  As obras de José de Alencar O Gaúcho que retrata os pampas e O Sertanejo que retrata o Nordeste são exemplos desse gênero.

Já na poesia os escritores são tradicionalmente divididos em 3 gerações.

Aguardem o próximo post que trará detalhes sobre cada uma delas!  :)

Fonte: CEREJA, William Roberto e COACHAR, Thereza Magalhães. Literatura brasileira: ensino médio. 3. ed. São Paulo: Atual, 2005.


SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline