Posts com a Tag ‘verbo transitivo direto e indireto’

Vídeo aula: Objeto Indireto

Eeei, galera!

Primeiro queria dar um aviso muito importante e excelente: o Descomplica está com promoção no Groupon=OOOOO Corre lá!! Os planos oferecem acesso ilimitado a todos os nossos mais de 2MIL vídeos, aula ao vivo, monitoria online e envio de redações!

Depois da nossa aula sobre Objeto Direto, a aula de hoje é sobre Objeto Indireto, com o professor Rafael Cunha. Se você ainda não assistiu o ùltimo vídeo, é bom assistir pro conceito ficar bem claro, ok?

Vamos lá? =D

Imagem de Amostra do You Tube

Transcrição:

00:00 Português
Objeto Indireto: Cena 1
Professor: Rafael Cunha
00:10 Olá, nosso objetivo agora é estudar o objeto indireto. Se você entendeu tudo o que foi explicado sobre objeto direto, essa função sintática será bem simples.
Seu conceito consiste em ser o complemento de um verbo transitivo indireto. Para isso, teremos que observar novamente a predicação verbal.
00:30 Observe essas duas frases:
“Gosto muito de biscoitos”
“Prefiro cinema a teatro”
Os dois objetos indiretos das frases são “de biscoitos” e “a teatro”. No primeiro caso, pois quem gosta, gosta de alguém ou de alguma coisa. Logo, ele pede complemento e é antecipado por uma preposição. Portanto, gostar é um verbo transitivo indireto e “de biscoito” é objeto indireto.
1:00 O verbo preferir é um pouco diferente. Quem prefere, prefere uma coisa a outra. O verbo “preferir” é transitivo direto e indireto, tendo como objeto direto “cinema” e objeto indireto “teatro”.
1:30 É importante ressaltar que a diferença entre um objeto direto e um objeto indireto é aexistência ou não de uma preposição. No entanto, devemos atentar para os objeto indiretos representados por pronomes oblíquos, uma vez que não precisam ser preposicionados.
Observe essa frase de Álvares de Azevedo:
“Que me resta, meu Deus.”
O que resta, resta a alguém ou para alguém, logo, o verbo restar é transitivo indireto e no caso, seu objeto indireto é o pronome oblíquo “me”, embora não esteja preposicionado.
2:00 Agora, vejamos dois casos especiais de objeto indireto. Após termos visto o conceito, devemos avaliar duas existências: o objeto indireto pleonástico e o objeto indireto oracional.
Vamos aos casos:
“Aos alunos, atribuí-lhes boas notas.”
Vamos analisar sintaticamente toda a oração. O sujeito do verbo “atribuir” é o sujeito desinencial simples (eu).
2:30 O objeto direto do verbo “atribuir” é “boas notas”. O verbo “atribuir” também pede um objeto indireto, podendo ser “aos alunos” e o pronome oblíquo “lhes”. Por estar redundante, “aos alunos” séra o objeto indireto e o pronome oblíquo “lhes” é o objeto indireto pleonástico.
3:00 Agora vejamos o caso do objeto indireto oracional. Observe a seguinte frase:
“Gosto muito de brincar de roda”. O verbo “gostar” é transitivo indireto, pois quem gosta, gosta de alguma coisa. Seu complemento, no caso, é “ de brincar de roda” e por possuir um verbo em sua estrutura, forma um objeto indireto oracional.
3:30 Uma observação importante: se o objeto indireto oracional for representado por uma oração desenvolvida, a preposição é facultativa. Observe o exemplo:
Pode-se dizer: “Gostaria de que você fosse embora” ou “Gostaria que você fosse embora”, pois nos dois casos temos objetos indiretos oracionais representados por uma oração desenvolvida, logo, a preposição pode ser colocada ou não.
4:00 Revisando: o objeto indireto consiste em um complemento de um verbo transitivo indireto. O verbo transitivo indireto pede complemento preposicionado. Segundo aspecto, há o objeto indireto pleonástico, quando é necessário ser rendundante em algum aspecto e o objeto indireto oracional, o qual contém em sua estrutura um verbo.
4:30 Para o vestibular, é necessário enchergar os pronomes oblíquos como objetos e existem quatro deles que possuem uma classificação sintática praticamente fixa que são:
o, a, os, as - sempre são objetos diretos
lhe, lhes - objetos indiretos
Vejamos as frases:
“Encontrei aquela mulher”. O verbo “encontrar” é transitivo direto, “aquela mulher“ é o objeto direto. Se eu substituir “aquela mulher” por um pronome oblíquo, teremos: “encontrei-a”, esse “a” será objeto direto.
5:00 Da mesma forma, na frase: “Pedi uma informação ao menino”, o verbo “pedir” é transitivo direto e indireto, o objeto direto é “uma informação” e o objeto indireto é “ao menino”.
Caso queria colocar um pronome no lugar de “ao menino”, ficaria: “pedi-lhe uma informação” e esse “lhe” será objeto indireto.
5:30 Recapitulando, os pronomes o, a, os, as, como complementos de um verbo, são sempreobjetos diretos. Já o lhe e lhes, como complemento de um verbo, são sempre objetos indiretos.
Então, é isso, pessoal.

Pra assistir a continuação da aula, é só ver o módulo completo aqui. E se ficou dúvida, fala com os nossos monitores que eles vão descomplicar tuuuuudo pra você aqui! ;D

Até a próxima e conte com a gente o/

fonte Canal Descomplica


SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline